Susceptibility of Aedes aegypti (Linnaeus) (Diptera: Culicidae) Immature Forms to Ivermectin

Cassiano Sousa Rosa, Daniel A. Simões, Livia M. S. Ataíde, Marco A. P. Horta, Evaldo F. Vilela

Resumo


O combate ao mosquito transmissor do dengue, Aedes aegypti (L.), tem sido um dos principais meios de se evitar epidemias dessa doença e para alcançar esse objetivo, o uso de larvicidas tem aumentado consideravelmente. Atualmente o larvicida mais utilizado pelos programas de saúde governamentais no Brasil é o temephos, entretanto, já existem registros de populações de A. aegypti resistentes a esse fármaco, destacando-se a necessidade de se pesquisar novos inseticidas. A ivermectina é uma droga antiparasítica muito utilizada na pecuária no combate a nematóides e artrópodes por apresentar baixa toxicidade a vertebrados, quando aplicada em pequenas doses. Considerando sua eficiência no controle de alguns artrópodes, o objetivo desse trabalho foi testar o efeito deste fármaco em larvas de 3º e 4º ínstares de A. aegypti. As larvas foram expostas à ivermectina durante 5, 15, 30, 60 e 1440 minutos, nas concentrações de 1, 5 e 10 ppm de solução de ivermectina. Foi feita observação 24 horas após o contato do inseto com a droga e observada a taxa de mortalidade. Observou-se uma correlação positiva entre a concentração de ivermectina e a taxa mortalidade das larvas, independente do tempo em que estas ficaram em contato com a droga. Através da análise dos resultados obtidos, pode-se concluir que o aumento da dose de ivermectina aumenta a mortalidade das larvas de A. aegypti, demonstrando assim, a eficácia do fármaco utilizado.

Texto completo:

ABSTRACT HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/BA.v6.0.102

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Sociedade Entomológica do Brasil