Ação de inseticidas sobre o percevejo-castanho-da-raiz Scaptocoris castanea Perty (Hemiptera: Cydnidae) e seu efeito no desenvolvimento e na produtividade da cultura do milho

Andre Luiz da Silva, Alexandre Jose da Silva, William Rosa de Oliveira Soares, Paulo Marçal Fernandes, Renato Martins Garcia

Resumo


Devido à falta de produtos registrados para o percevejo-castanho-da-raiz, Scaptocoris castanea, novos inseticidas precisam ser desenvolvidos para viabilizar os cultivos nas áreas com ocorrência desta praga de solo. Os objetivos deste trabalho foram avaliar a eficácia de inseticidas aplicados no sulco de plantio e em tratamento de sementes para o controle do percevejo-castanho-da-raiz e seu efeito sobre o desenvolvimento e produtividade na cultura do milho em duas localidades do Estado de Goiás. Os tratamentos testados foram: Testemunha sem inseticida; Durivo (clorantraniliprole + tiametoxam) nas doses de 100, 200 e 300 mL do produto comercial por hectare aplicado no sulco de semeadura, Cruiser 350 FS (tiametoxam) em tratamento de sementes na dose de 120 mL/ha + Durivo 200 mL/ha aplicado no sulco de semeadura e Cropstar (imidacloprido + tiodicarbe) + Astro (clorpirifós) aplicados, respectivamente, em tratamento de sementes (300 mL/ha) e no sulco de semeadura (1500 mL/ha). Os ensaios foram conduzidos nos municípios de Edéia e Rio Verde, Goiás, em áreas de produtor com alta infestação de S. castanea. O delineamento experimental foi de blocos ao acaso com os seis tratamentos e quatro repetições. As parcelas constavam de 5 fileiras de milho com espaçamento de 45 cm por 7 metros de comprimento. Os resultados demonstraram que o inseticida Durivo (clorantraniliprole + tiametoxam) na dose de 300 mL/ha em aplicação no sulco de semeadura e a mistura Cruiser 350 FS (120 mL/ha) + Durivo (200 mL/ha) foram eficazes para o controle de S. castanea nos dois experimentos (Edéia e Rio Verde) apresentando controle da ordem de 71% aos 14 DAE, proporcionando incrementos médios de 110% no estande, de 56% em altura de plantas, 70% em massa seca do sistema radicular, 52% em massa seca da parte aérea e 71% de acréscimo em produtividade. Os dados apresentaram correlação significativa (R2>0.8) para todos os parâmetros avaliados em Edéia, onde se obteve maior pressão de ataque da praga. Durivo apresenta-se como uma ferramenta importante, dentro do manejo integrado de S. castanea, pois é eficaz em doses relativamente baixas e na modalidade de aplicação sulco de plantio apresenta baixo impacto ambiental.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/BA.v8.113

Sociedade Entomológica do Brasil