Eficiência de inseticidas no controle de Eurhizococcus brasiliensis (Hemiptera: Margarodidae) na cultura da videira

Marcos Botton, Daniel Bernardi, Caio Fábio Stoffel Efrom, Cleber Antonio Baronio

Resumo


A pérola-da-terra Eurhizococcus brasiliensis (Hemiptera: Margarodidae) é uma das principais pragas da videira no Brasil. Neste trabalho foi avaliado o efeito dos inseticidas: imidacloprido (Premier 700 WG®), tiametoxam (Actara 250 WG®), spirotetramate (Movento 240 SC®), fipronil (Standak®) e azadiractina (Azamax®) no controle da cochonilha. Quatro experimentos foram conduzidos em áreas naturalmente infestadas pela praga, avaliando-se a eficiência de controle mediante a contagem dos insetos presentes nas raízes oito meses após o plantio. O fipronil (Standak®, 0.37 mL de i.a./planta) aplicado via solo reduziu em 100% a população da cochonilha quando comparado com o tratamento controle (testemunha), sendo equivalente ao imidacloprido e ao tiametoxam atualmente recomendados para o controle da espécie. A aplicação no solo da azadiractina (Azamax®, 0,24 mL de i.a./planta) e a pulverização foliar de spirotetramate (Movento 240 SC®, 24 mL de i.a./100L de água) reduziram a infestação da praga em aproximadamente 50 e 60%, respectivamente. Conclui-se que o inseticida fipronil é equivalente aos inseticidas neonicotinoides imidacloprido e tiametoxam e a azadiractina pode ser uma alternativa para a supressão da praga em vinhedos orgânicos.

Palavras-chave


Azadiractina, pérola-da-terra, controle químico, fipronil, imidacloprido, spirotetramate, tiametoxam.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/BA.v8.0.120

Sociedade Entomológica do Brasil