Atividade Larvicida de Extratos Vegetais sobre Aedes aegypti (L.) (Diptera: Culicidae), em Condições de Laboratório

André A.M. Coelho, José E. de Paula, Laila S. Espíndola

Resumo


A dengue é uma doença viral transmitida, principalmente, pelo mosquito Aedes aegypti (L.) (Diptera: Culicidae). Nenhuma vacina ainda foi validada, portanto, o controle vetorial ainda é a melhor prevenção. Entretanto, algumas populações já mostraram resistência a vários inseticidas utilizados. Por isso, há necessidade do desenvolvimento de novos produtos com essa atividade. Avaliou-se a ação larvicida de 67 extratos vegetais sobre larvas do terceiro estádio de A. aegypti, em condições de laboratório. Para cada extrato, dez larvas, em triplicata, foram colocadas em placa de Petri contendo 20 ml de solução (500 μg/ml). As larvas tratadas e o controle foram mantidos à temperatura de 28 ± 5°C, umidade relativa de 70 ± 5% e fotoperíodo de 12 horas. Os resultados foram registrados após 24h. O extrato diclorometânico da folha de Kielmeyera coriacea Mart. (Clusiaceae) foi o que apresentou melhor atividade na concentração inicial testada. A CL50 desse extrato foi determinada, sendo igual a 112.79 µg/ml. Sugere-se que este extrato seja quimicamente fracionado e biomonitorado, isolando as substâncias ativas, pois podem ser úteis na busca por novos compostos naturais inseticidas, mais seletivos e biodegradáveis, sobre larvas do mosquito A. aegypti.

Texto completo:

ABSTRACT HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/BA.v4.0.22

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Sociedade Entomológica do Brasil