Toxicity of Substances Isolated from Helietta puberula RE Fr. (Rutaceae) to the Leaf-cutting Ant Atta sexdens L. (Hymenoptera: Formicidae) and the Symbiotic Fungus Leucoagaricus gongylophorus (Singer) Möller

Roberta Almeida, Maria Peñaflor, Simone Simote, Odair Bueno, Maria Hebling, Fernando Pagnocca, João Fernandes, Paulo Vieira, Maria da Silva

Resumo


As formigas cortadeiras são pragas que podem causar sérios prejuízos para a agricultura e silvicultura, uma vez que elas possuem o hábito de cortar material vegetal fresco para cultivar o fungo simbionte, sua principal fonte alimentar. Atualmente, métodos químicos têm sido largamente empregados para o controle de formigas cortadeiras e isso tem acarretado sérios problemas à saúde humana, assim como para o meio ambiente e outros organismos não-alvo. Nesse sentido, espécies vegetais são promissoras fontes de novas moléculas inseticidas que podem ser tóxicas tanto para as formigas cortadeiras quanto para o fungo simbionte, além de serem mais degradáveis e menos tóxicas para mamíferos. Em vista disso, o presente estudo objetivou a determinação da toxicidade de extratos, frações e substâncias puras de Helietta puberula RE Fr. (Rutaceae) para operárias médias de Atta sexdens L. (Hymenoptera: Formicidae) e para o seu fungo simbionte, Leucoagaricus gongylophorus (Singer) Möller. A toxicidade para as saúvas foi determinada através de bioensaios por ingestão, enquanto que com o fungo simbionte, foi avaliado o seu desenvolvimento em meio de cultura contendo os extratos vegetais. Os resultados mostraram que dentre as seis substâncias isoladas de H. puberulla, três delas foram concomitantemente tóxicas para as saúvas e para o fungo, mostrando ser essa espécie vegetal uma fonte promissora de novas substâncias para o controle de formigas cortadeiras.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/BA.v2.0.53

Sociedade Entomológica do Brasil