Larvicidal Effect of Medicinal Plants Against Aedes aegypti (L.) (Diptera: Culicidae) in Mexico

Filiberto Reyes-Villanueva, Othón Gonzales-Gaona, Mario Rodríguez-Perez

Resumo


Alguns fitoquímicos apresentam compostos tóxicos que podem ser explorados no controle de larvas de mosquitos. Sendo assim, o efeito larvicida de extratos aquosos a 0,05% (peso:volume) de 14 plantas medicinais foram avaliadas para o controle de larvas de Aedes aegypti (L.) no México. Os bioensaios foram conduzidos com larvas nos estágios iniciais do quarto instar mediante a submersão das larvas nos extratos. Resultados preliminares com as plantas testadas mostraram que a maior mortalidade foi observada com extratos de macerados e de plantas inteiras. As mortalidades médias obtidas para Solanum nigrescens Martens & Galeotti, Operculina pteripes (G.Don) O'Donell e Phoradendron tamaulipensis Trel. foram 55; 17,5 e 5,8% respectivamente. Posteriormente, foram realizadas bioensaios com plantas de S. nigrescens coletadas mensalmente no campo para avaliar o efeito sazonal na atividade larvicida com diferentes partes da planta. Somente extratos obtidos das raízes maceradas (mortalidade de 83 a 100%) ou inteiras (mortalidade de 88 a 98%) foram letais às larvas de A. aegypti. As mortalidades mensais médias obtidas com extratos de raízes maceradas ou inteiras de S. nigrescens foram 91,6 e 93,3% respectivamente.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/BA.v3.0.57

Sociedade Entomológica do Brasil