Chemical control of white grub Liogenys fuscus (Blanchard 1851) (Coleoptera: Melolonthidae) in cornfields

Antônio Santos, Adeney Bueno, Regiane Bueno, Simone Vieira

Resumo


Pragas de solo como o complexo de corós são de grande importância nas culturas de milho e soja em várias regiões produtoras do Brasil, sendo que Liogenys fuscus (Blanchard) é a espécie mais comum na região Centro-Oeste. Os produtores de milho têm utilizado inseticidas para controle dessas pragas iniciais; entretanto, pouco se conhece sobre a eficiência dos diferentes inseticidas no controle de L. fuscus. Sendo assim, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a eficiência de alguns inseticidas, aplicados no solo no sulco de plantio ou em tratamento de sementes, para o manejo de L. fuscus na cultura do milho no Estado de Goiás, durante as safras de 2004/2005 e 2005/2006. Durante a safra 2004/2005, os tratamentos testados foram clorpirifós 450, 675, 900 e 1170 g.ha-1, endosulfan 525 g.ha-1, fipronil 160 g.ha-1 aplicados no sulco de plantio e durante a safra 2005/2006 os tratamentos foram clorpirifós 450 e 675 g.ha-1, fipronil 160 g.ha-1 aplicados no sulco de plantio e também fipronil 37,5 e 50 g.100 kg de sementes-1 e tiametoxam 70 g.100 kg sementes-1 em tratamento de sementes. Os resultados mostraram que: clorpirifós (450,0 g.ha-1) pulverizado no sulco de plantio foi suficiente para o controle de L. fuscus, observando-se um estande de até sete vezes maior e um tamanho de planta de aproximadamente duas vezes maior em relação ao tratamento testemunha na safra 2004/2005 devido ao ataque da praga. Resultados semelhantes foram obtidos com fipronil (160,0 g.ha-1) também aplicado no sulco de plantio sendo que ambos foram superiores ao endosulfam na dose de 525,0 g.ha-1 nesta safra. Já na safra 2005/2006 não se observou incremento ao tamanho de planta e estande devido à aplicação dos inseticidas, sendo que as plantas não apresentaram sintomas de ataque da praga. Nessa safra os resultados apresentados pelos tratamentos de sementes (fipronil 37,5 e 50 g.100 kg de sementes-1 e tiametoxam 70 g.100 kg de sementes-1) também foram similares ao clorpirifós e fipronil na aplicação realizada no sulco de plantio, podendo, portanto ser considerada uma outra opção de controle químico para o manejo dessa praga. Sendo assim clorpirifós e fipronil aplicados no sulco de plantio além de fipronil e tiametoxam aplicados em tratamento de semente podem ser alternativas de controle químico de L. fuscus na cultura de milho em condições semelhantes ao encontrado nesses experimentos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/BA.v3.0.59

Sociedade Entomológica do Brasil