Avaliação da Técnica de Disrupção Sexual Utilizando Emissores SPLAT® Visando ao Controle de Bonagota salubricola (Meyrick) e Grapholita molesta (Busck) (Lepidoptera: Tortricidae) na Pré-colheita de Maçãs da Cultivar ‘Fuji’

Patrik Pastori, Cristiano Arioli, Marcos Botton, Lino Monteiro, Agenor Mafra-Neto

Resumo


O controle de Bonagota salubricola (Meyrick) e Grapholita molesta (Busck) (Lepidoptera: Tortricidae) foi avaliado na cultura da macieira através da técnica de disrupção sexual utilizando emissores SPLAT Grafo + Bona® (SG+B) e SPLAT Cida Grafo + Bona® (SCG+B) comparado com o manejo adotado na produção integrada de maçãs (PIM). Os emissores foram aplicados (1 kg/ha) na pré-colheita da cultivar ‘Fuji’, distribuídos em 300 (SG+B) e 1000 (SCG+B) pontos/ha em unidades experimentais (UE) de 5 ha cada tratamento. Semanalmente foi avaliado o efeito das formulações sobre a captura de machos adultos em armadilhas Delta iscadas com feromônio sexual sintético das duas espécies no período de Março - Maio/2005 (safra 2004/05) e Agosto - Novembro/2005 (safra 2005/06) além dos danos na colheita. A aplicação das formulações promoveu redução significativa na população de machos adultos de B. salubricola e de G. molesta capturados em armadilhas Delta quando comparado com a testemunha (PIM). Entretanto, esta redução na captura não refletiu na redução de danos causados por B. salubricola e G. molesta na colheita, que foi semelhante nos tratamentos com emissores SG+B (3 e 0%) e SCG+B (3,5 e 0%) e na testemunha (PIM) (4,75 e 0,25%), respectivamente. A população de adultos de G. molesta no início da safra 2005/06, foi inferior (29,3 e 25,8 adultos) nas UE’s que receberam os emissores SG+B e SCG+B na safra 2004/05 quando comparado com a PIM (284,8 adultos), indicando um efeito significativo do tratamento com feromônio sexual sobre a geração hibernante da espécie, fato não observado com B. salubricola.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/BA.v3.0.61

Sociedade Entomológica do Brasil