Atividade Inseticida de Extratos de Plantas Medicinais sobre Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera:Noctuidae).

Neiva Knaak, Marinez Salete Tagliari, Vilmar Machado, Lidia Mariana Fiuza

Resumo


No presente trabalho foi avaliado o efeito dos extratos vegetais, de 19 espécies de plantas medicinais, no desenvolvimento de Spodoptera frugiperda. Os extratos aquosos foram preparados na forma de macerado (4ºC) e infusão (90ºC) a 10%. Os experimentos foram realizados em condições controladas (12h de fotofase, 25°C e 70% de U.R.), aplicando-se 100 µL do extrato vegetal sobre a dieta artificial, onde lagartas de 2º ínstar foram individualizadas, sendo na testemunha o tratamento substituído por água destilada. Entre as espécies de plantas medicinais testadas, apenas Lantana camara não apresentou efeito sobre ao menos uma das variáveis analisadas. O prolongamento da fase larval ocorreu quando aplicados os extratos de M. silvestris, C. ensiformes, C. verbenacea, C. zedoaria e C. citratus. Quanto à duração da fase pupal observou-se o prolongamento quando utilizados os macerados de S. officinalis e C. verbenacea. Redução no tamanho das pupas ocorreram para quatro espécies vegetais, sendo o peso reduzido para cinco espécies. Nessa mesma fase, 16 espécies provocaram anomalias. Efeitos negativos sobre oviposição e fertilidade foram observados para seis espécies de plantas. Os resultados indicam que 18 espécies, entre as plantas avaliadas nesse estudo, interferem no desenvolvimento de S. frugiperda, as quais poderão ser analisadas quanto à composição química, como potencial inseticida aplicado no controle da espécie-alvo.

Texto completo:

ABSTRACT PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/BA.v7.0.63

Sociedade Entomológica do Brasil