Eficiência de Formulações Granuladas e Líquidas de Inseticidas para Cupim de Montículo Cornitermes cumulans (Kollar) (Isoptera: Termitidae)

Angela Canesin, Paulo E. Degrande, Bruno A. Crispim, Larissa C. Tannous, Odival Faccenda

Resumo


A importância de se testar moléculas, como estratégia de controle químico, está na seleção de um produto seletivo à praga, com boa eficiência aliada ao poder residual, economicamente, ambientalmente e operacionalmente viável. A pesquisa foi realizada com a finalidade de estudar o controle químico ao cupim de monte Cornitermes cumulans (Kollar) (Isoptera: Termitidae). O estudo foi conduzido em pastagem, na Estância Nelore, situada no Km 236 da BR 163, município de Caarapó-MS, durante o período de 06 de novembro a 06 de dezembro de 2007. Foram avaliados quatro ingrediente ativo (IA): imidaclopride, fipronil, deltametrina e clorpirifós, nas dosagens de 0,6g, 0,2g, 1,0g e 1,2g, repectivamente, aplicadas por cupinzeiro. Foi adotado um delineamento experimental inteiramente casualizado com cinco tratamentos e dez repetições. Os tratamentos foram representados pela testemunha e os quatro IAs. Cada repetição foi composta por um cupinzeiro ativo de aproximadamente 50 cm de altura, totalizando 50 colônias. Os cupinzeiros escolhidos foram marcados com cal. Determinou-se a eficiência dos IAs testados, aplicando-se o número de colônias vivas observadas em cada parcela na fórmula de Abbott. As médias foram comparadas pelo teste de comparação múltipla U de Mann-Whitney ao nível de significância de 5%. Os resultados demonstraram o alto potencial do clorpirifós no controle de C. cumulans.

PALAVRAS CHAVE - Controle químico, Controle de praga, Pastagem.

Texto completo:

ABSTRACT PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/BA.v7.0.76

Sociedade Entomológica do Brasil