Environmental Risk Assessment of Genetically Modified Crops: General Principles and Risks to Non-target Organisms

Alan Raybould

Resumo


O presente trabalho discute que a análise de risco deveria ser abordada segundo o modelo de desenvolvimento contínuo do saber científico proposto por Karl Popper. Nesse contexto, a análise de risco deveria começar com o problema e busca de respostas para esse problema mediante testes de hipóteses. A análise de risco sendo considerada como teste de hipóteses, a segurança não pode ser provada, porém pode ser indicada pelos testes de hipóteses que prevêem baixo risco. A confiabilidade na análise de risco é dada pelo rigor com que hipóteses de risco são testadas; sendo que os testes devem ser iniciados em condições mais prováveis para demonstrar que as hipóteses de risco são falsas. Se as hipóteses de risco são corroboradas nessas condições, há confiança de que os riscos impostos pelas plantas geneticamente modificadas são baixos. O aumento no rigor nos testes de hipóteses auxilia para justificar o estabelecimento da solicitação de dados adicionais, e pode reduzir o risco ambiental mediante prevenção de atrasos excessivos no registro de produtos ambientalmente benéficos.

Palavras-chave


Scientific method, problem formulation, hypothesis testing

Texto completo:

ABSTRACT HTML PDF TABLE 1


DOI: https://doi.org/10.14295/BA.v2.0.8


Sociedade Entomológica do Brasil