Atividade Larvicida de Bacillus sphaericus 2362 contra Anopheles sp. (Diptera, Culicidae) em rios do Amazonas, Brasil

Iléa Brandão Rodrigues

Resumo


Devido à alta incidência de malária na Amazônia estudos que favoreçam o controle de vetores é muito importante. O estudo objetivou analisar a atividade larvicida de Bacillus sphaericus 2362 contra anofelinos considerando as condições amazônicas. Ensaios em Laboratório foram realizados com B. sphaericus 2362 liofilizado utilizando água coletada dos rios Negro (água preta) e Solimões (água branca) contra larvas de Anopheles nuneztovari. Testes em campo usando um formulado de B. sphaericus 2362, denominado Spherico, foi aplicado em criadouros de espécies de Anopheles localizados nos rios Solimões e Negro. Os bioensaios apontaram que os maiores níveis de mortalidade foram observados na leitura de 24 horas, nos dois tipos de água, de forma acentuada nas duas maiores doses. Mas o valor da CL50 foi menor na água preta em relação à água branca. Os testes relativos às retas de regressão quanto à diferença de mortalidade entre os dois tipos de águas e entre as leituras mostraram que a hipótese de igualdade foi rejeitada. Portanto, as doses efetivas são qualitativamente iguais, porém quantitativamente diferentes; com valores da Potência Relativa (PR) mostrando que na água preta, para matar 50% das larvas na leitura de 24 horas, há necessidade de uma concentração de 1,435 vez menos isolado do que se necessita na água branca. Nos estudos das atividades do formulado Spherico contra anofelinos em campo, em que as espécies predominantes nos criadouros dos rios Negro e Solimões foram A. triannulatus e A. albitarsis mostraram que houve um maior valor de ILHH na água branca do que na água preta, denotando maior redução de larvas no rio Negro. A atividade larvicida do formulado Spherico (B. sphaericus 2362) sobre as larvas de anofelinos apresentou diferença significativa entre os dois tipos de águas testados. A atividade larvicida de B. sphaericus 2362 contra larvas de anofelinos em laboratório e campo utilizando águas dos rios Negro e Solimões difere significativamente entre os dois tipos de água.

Palavras-chave


Malária, Controle Biológico, Anofelino, Bacilo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/BA.v8.0.95

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Sociedade Entomológica do Brasil